Laguna: casa Pinto d’Ulyssea

Foto do caderno com o desenho da casa com a casa em segundo plano

No feriadão de Corpus Christi de 2019, fomos à Laguna. É uma cidade de onde guardo umas poucas memórias de viagens quando eu era criança. Na verdade, as lembranças são das fotos que tínhamos guardadas. As cenas são estáticas, nada se movimenta.

Desta vez, o plano era voltar com desenhos, que é o melhor fixador de memória que existe. A primeira parada foi na Fonte da Carioca, uma construção do século 19 construída por escravizados. Até hoje os moradores vão ali encher os galões com a água mineral que sai das torneiras de metal.

A poucos metros da fonte, fica a casa Pinto d’Ulyssea, ironicamente a primeira residência de Laguna a ter água encanada. É um casarão muito bonito, com a fachada revestida de azulejos azuis e brancos. Na parte de trás há um jardim interno com uma fonte ao centro. O imóvel pede uma restauração: vários azulejos estão manchados e as janelas têm vidros quebrados.

Desenho incompleto mostrando fachada com azulejos azuis de uma casa
Os primeiros azulejos são fáceis de se desenhar, mas depois do vigésimo, o padrão dá um efeito meio hipnotizante

O sol já batia forte detrás do casarão. Protegi os olhos com a mão para poder enxergar os detalhes sem o sol me ofuscar. E dei o desenho por encerrado antes que ficasse maluco de repetir o padrão dos azulejos inúmeras vezes no papel.


  • Caneta-pincel Kuretake Bimoji com ponta fina
  • Hidrocor Tombow ABT azul com ponta de pincel
  • Caderno Hahnemühle A4

Este é o primeiro de uma série de cinco desenhos de uma viagem à cidade de Laguna, em Santa Catarina, em junho de 2019. Veja os outros:


8 respostas para “Laguna: casa Pinto d’Ulyssea”

  1. Que narrativa poética! E o desenho aconteceu, já traduz toda a arte de desenhar o que se vê e o que se sente ao postar-se diante de uma cena e traduzí-la com canetas e tintas. Parabéns!❤️

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.