Casa na Chácara do Espanha (das poucas que restam)

Desenho a traço, em crayon, da fachada de uma casa branca de 2 andares com sacada.
Casa de elementos da arquitetura neocolonial na rua Coronel Melo Alvim

Para desenhar na rua, com chuva, é preciso habilidades extras. Se o lugar escolhido não tiver uma marquise ou cobertura, você vai ter de segurar um guarda-chuva, manter os materiais à mão e apoiar o caderno. O desenho você faz com a mão que sobrar.

Por essas e outras que os atuais organizadores do Urban Sketchers Florianópolis – categoria na qual me incluo – adiam uma sessão quando o tempo parece que não vai cooperar. Hoje, perto do meio dia, a previsão dava 30% de chance de chuva. Se fosse um encontro normal, teríamos transferido e todo mundo ficaria em casa tomando chá.

Mas hoje foi dia do #sketchtogether, um evento mundial de 24 horas de desenho no Instagram. Começou nas primeiras horas deste domingo com os grupos de Urban Sketchers da Ásia e Oceania e terminou nas Américas. A conta oficial do movimento ficou responsável por repostar as imagens publicadas com as hashtags do evento.

Autor de casaco preto desenhando sentado em uma banqueta na calçada com o caderno no colo e um guarda-chuva azul na mão esquerda
Mão esquerda cuidou das lapiseiras, do guarda-chuva e de vez em quando fotografou com o celular

Caçando casas

Em Florianópolis, o encontro foi na Chácara do Espanha, região do Centro delimitada pelas ruas Dorval Melchíades de Souza, Lacerda Coutinho, Marechal Guilherme e Nereu Ramos (veja o mapa).

O portão da Escola Lauro Müller marcava a entrada da antiga chácara. Na área, são poucas as casas antigas que resistiram à sanha das construtoras. Várias já foram abaixo, substituídas por construções muito feias.

Fotografia com o desenho em primeiro plano e ao fundo o motivo desenhado: a casa branca de 2 andares com um carro parado em frente
Carro estacionou depois que eu já tinha preenchido o muro branco

Foi uma dessas casas que escolhi desenhar, na rua Coronel Melo Alvim. Não parecia complexa e tem detalhes interessantes, como as colunas em espiral. É o estilo que chamam de neocolonial, como nesta outra, que registrei há alguns meses.

No fim, sujei o casaco com crayon branco no malabarismo com os materiais de desenho e descobri que o material borra quando o papel está molhado.


  • Lapiseiras 5,6 mm com minas tipo crayon branca e preta
  • Sketchbook caseiro 24 x 32 cm com papel kraft 110 g/m²

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *