Igreja da Lagoa em tira-linhas e nanquim

Desenho da igreja da Lagos em preto e branco em primeiro plano com a igreja ao fundo
Igreja já recebeu duas visitas de D. Pedro 2º e uma do Urban Sketchers Florianópolis

A dificuldade de desenhar a igreja da Lagoa está na fachada, uma grande área branca que tem só dois elementos – a janela circular e a porta. Sem frisos, frontões e nem colunas para alinhar as proporções, é preciso estimar as distâncias no olho.

A Paróquia Nossa Senhora da Imaculada Conceição, seu nome oficial, foi construída em 1750, o que a torna, juntamente com a de Santo Antônio de Lisboa, a mais antiga da cidade. As melhorias feitas por ocasião de duas visitas de Dom Pedro 2º não chegaram a descaracterizar a arquitetura original, de origem portuguesa. Na segunda vinda, em 1861, o imperador doou os dois sinos que estão até hoje na torre.

O cenário histórico se completa pelo casario do entorno e pelo caminho de pedras, construído por escravizados. Para tranquilidade dos fiéis e vizinhos, a edificação fica em uma ladeira, a salvo da agitação do bairro. A casa do vigário é logo acima, atrás da igreja. Pegando fôlego e subindo um pouco mais a rua, dá para ver uma bela vista da Lagoa nos espaço estreitos entre as casas de quem tem dinheiro para morar em um lugar assim.

A pena de caligrafia Dreaming Dogs favorece o gestual em detrimento das minúcias

A igreja foi tema do 40º encontro do Urban Sketchers Florianópolis em maio de 2019. Demorei pra encontrar um ângulo. Dentro dos muros, a pouca distância dificulta abranger toda a construção, ainda que outros participantes tenham escolhido desenhá-la dali. Do lado de fora, as palmeiras e placas obstruem a visão. Optei pela segunda alternativa e incluí as árvores.

Por coincidência, ontem visitei a igreja. Percebi detalhes que não capturei dois anos atrás e fiquei imaginando como seria um desenho feito agora. Com certeza, sem a necessidade de registrar a construção inteira.

Conversas sobre projetos editoriais, exposições e cursos. Da esquerda pra direita: eu, o artista visual Lese Pierre e a artista têxtil Carol Grilo

  • Tira-linhas Dreaming Dogs
  • Aguada de nanquim
  • Papel Montval 300 g/m² A3