O segundo desenho sempre sai melhor

Caixa d’água ao lado da Igreja de Pedra no Rio Tavares. Nanquim sobre papel

Quem faz desenho de observação sabe que as primeiras tentativas saem um pouco duras. É por isso que as sessões de modelo vivo costumam iniciar com um “aquecimento”, sequências de poses de menos de três minutos para o cérebro entrar no modo de representação visual. No desenho de rua, a gente se perde nos detalhes… Continuar lendo O segundo desenho sempre sai melhor

Lugar de Paulo Freire é na escola

Técnica de pastel seco em papel não branqueado permite destacar as zonas mais claras

No início do ano, o escritor e professor Cristiano Moreira assumiu a direção da Escola Básica Santo Antônio, em Rodeio, cidade de pouco mais de 10 mil habitantes em Santa Catarina. Na véspera, me encomendou um retrato do educador Paulo Freire para pendurar na nova sala. Fiz o desenho a partir do vídeo de uma… Continuar lendo Lugar de Paulo Freire é na escola

Meu maior hit no Pinterest é do tamanho de um cartão postal

Nanquim sobre papel. Maio de 2016

Só lembro de entrar no Pinterest quando sinto que preciso dar um tempo das selfies e imagens autopromocionais que as pessoas postam no Instagram. Com menos de vinte pins criados, passo longe de ser um “gerador de conteúdo” (embora tenha salvo muito mais pins que isso. Afinal, é a lógica do serviço). Dessas poucas imagens,… Continuar lendo Meu maior hit no Pinterest é do tamanho de um cartão postal

Desenho na rua Fernando Machado

Placa de trânsito, aparelhos de ar condicionado e roupas penduradas também são parte do cenário urbano

É fim de tarde de sábado no centro de Florianópolis, em frente à Faferia, espaço cultural onde espero Carol Grilo dar sua oficina de bordado contemporâneo. Abro o banco dobrável na base da escada do prédio e começo a desenhar a rua para passar as horas. Estamos em abril de 2018, dois anos antes da… Continuar lendo Desenho na rua Fernando Machado

Casa na esquina da Bocaiúva com a Gama D’Eça

Marrom do papel kraft pode ser explorado quando se usa uma paleta limitada de cores

O tema do encontro do Urban Sketchers Florianópolis de hoje foi esta casa espremida entre prédios na esquina da avenida Professor Othon Gama D’Eça com a rua Bocaiúva. Segue resistindo, talvez por ter sido encurralada em um terreno pequeno demais para um edifício. É difícil ignorá-la. A construção de um pavimento tem a beirada do… Continuar lendo Casa na esquina da Bocaiúva com a Gama D’Eça

Coisas da cozinha

Utensílios de bambu para não arranhar as panelas. Bule de ágata esmaltada para guardar os utensílios. Azeite de oliva para pôr no pão e acrescentar em algumas receita. Tudo usado com mais frequência agora. O vidro de azeite dura menos de um mês e lavamos as espátulas quase todos os dias. Caneta tinteiro Jinhao x750… Continuar lendo Coisas da cozinha

Chá tem vários – difícil é escolher

Uma das coisas que aprendi é que só as bebidas preparadas com a planta Camellia Sinensis podem ser chamadas de chá. Hortelã, mate e camomila, por exemplo, são infusões. Mesmo assim, a variedade é grande. Fiz esse trabalho em lettering estilo quadro-negro listando as mais conhecidas, incluindo uma das minhas preferidas, Lapsang Souchong. Estão aí dois tipos que… Continuar lendo Chá tem vários – difícil é escolher

The Call of Cthulhu

Linhas iniciais do conto mais famoso de H. P. Lovecraft em caligrafia, estilo gótica rotunda. É o quarto trabalho de uma série de clássicos da literatura de terror que comecei com Drácula, segui com Frankenstein e, depois, A Queda da Casa de Usher. Agora é hora de partir para outros projetos e deixar este de lado por um… Continuar lendo The Call of Cthulhu