Tag: caneta ponta fina

  • Entrou areia na célula da planilha

    Entrou areia na célula da planilha

    Oi, Pereira. Estou enviando em anexo a Planilha que acordamos de revisar até segunda-feira. Tendo isso em vista, necessito que você cuide disso ASAP para que o Tomazzini tenha tempo hábil de estar fazendo um merge em um PPT para a Diretoria. — Já que você tinha de ter concordado em entregar trabalho no Carnaval,…

  • A quem recorro quando a bicicleta dá problema

    A quem recorro quando a bicicleta dá problema

    Vou andando ao trabalho depois das férias de fim de ano e vejo a bicicletaria do Valdir fechada. Cena improvável. Quem passa pela rua sabe que as dezenas de bicicletas do lado de fora esperando a vez de serem consertadas são uma visão tão certa quanto o muro de pedra onde ficam apoiadas. Era essa…

  • Taça cheia, lugar sobrando

    Taça cheia, lugar sobrando

    O senhor na mesa em frente enfrenta uma taça de vinho igual à minha: cheia até a borda. A culpa é toda do garçom, o que diminui minha culpa por ter pedido álcool em vez de suco de laranja ou água mineral. Se nesse ritmo o velho chegou aos seus prováveis oitenta e cinco anos,…

  • A casa azul, o coqueiro e o gato

    A casa azul, o coqueiro e o gato

    Domingo é domingo, ainda mais de manhã cedo. O final da rua Vera Linhares de Andrade, quase no pé do morro da Lagoa, está vazio. É um trecho onde o asfalto se estreita e a calçada espreme as pessoas. A meia dúzia de casas fica escondida dos carros. De pedestres, só uns poucos moradores e…

  • Obituário? Nem morta

    Obituário? Nem morta

    Tirando o horóscopo e a previsão do tempo, os jornais lidam com o passado recente. O obituário, aquele anúncio de falecimento impresso a pedido da família, também entra nessa categoria dos acontecimentos dos últimos dias. Na Folha de São Paulo, essa seção tem um nome seco: “Mortes”. Para amenizar a aspereza, o jornal publica todo…

  • A penúltima locadora do bairro

    A penúltima locadora do bairro

    Se você quiser ser mais discreto enquanto desenha na calçada, uma tática é se encostar em uma árvore, caixa de energia ou coisa do tipo. Minha escolha foi colocar a banqueta ao lado de um poste. Assim, eu ficaria menos visível aos passantes. Não deu muito certo. Dois frentistas do posto de gasolina vizinho estavam…

  • A psique de um bairro

    A psique de um bairro

    Quase todo bairro mais antigo dessa cidade tem padaria, feira, boteco, farmácia, mercadinho, mecânica de automóveis, centro de saúde e oficina de bicicleta. Há uns dez anos, ainda havia locadora de DVDs. Aqui, o Córrego Grande prova que é um lugar completo ao oferecer todas essas conveniências (menos a locadora). E acrescenta à lista um…

  • Aquela casa das festas com CDs

    Aquela casa das festas com CDs

    Desconheço o interior da maioria das casas que tenho desenhado aqui no bairro. Às vezes, aparece um proprietário para conversar meio por acaso. Mas ainda espero o dia em que alguém vai me convidar para um café e contar a história do imóvel. Como não bato na porta e muito menos peço para entrar nos…

  • Viemos como estávamos

    Viemos como estávamos

    Faço parte de uma plateia resignada e aflita, espalhada pelas cadeiras, que não comprou ingresso e nem ganhou convite. Estamos todos aqui por causa de um único integrante de uma peça cujo script diz que ele ou ela vai entrar pela porta de correr, sair duas horas depois e recitar sua fala.

  • É melhor não lembrar

    É melhor não lembrar

    O esquecimento, na geladeira de casa, do sanduíche que seria meu café da manhã me custa vinte e sete reais. É o que paguei por um croissant de queijo com peito de peru tomate e alface, uma xícara média de café passado puro e uma fatia de torta integral de banana. Vou intercalando o doce…

  • A leitura que só avança com café

    A leitura que só avança com café

    O senhor escolhe a mesa que está mais perto do café e senta-se de costas para o balcão. Deixa um livro grosso em cima do tampo de pedra, se levanta, faz o pedido e volta só com uma xícara média de café passado. Resistiu ao pão de queijo, à torta chocolasca e à saltenha. Abre…

  • Eu poderia estar vendendo bilhete de loteria

    Eu poderia estar vendendo bilhete de loteria

    Estou em pé, encostado na mureta da padaria Maria Farinha, com a prancheta na mão esquerda e a caneta na direita. É junho, mas o sol forte permite sair de camiseta. A minha é amarela. Uma senhora franzina se aproxima puxando um carrinho de feira. “Vai perguntar o que estou fazendo e quem sabe elogiar…