A crítica cultural ainda é importante?

Houve uma época, lá pela década de 1990, em que peguei o costume de comprar o jornal Gazeta Mercantil às sextas-feiras. Na cobertura econômica, a especialidade da Gazeta, eu passava os olhos e lia uma matéria ou outra. O verdadeiro motivo da minha visita à banca era o caderno Fim de Semana, editado por Daniel… Continuar lendo A crítica cultural ainda é importante?

Livros com desenhos de rua vão ganhar resenhas

Este ano vou compartilhar minhas impressões sobre alguns livros de urban sketching aqui da coleção. Além destes que estão na estante, tem outros espalhados pela casa. Vou escrever sobre títulos independentes, esgotados ou que nunca foram editados no Brasil. E também, claro, sobre publicações que se encontram facilmente nas livrarias ou que estão disponíveis para… Continuar lendo Livros com desenhos de rua vão ganhar resenhas

Laerte e o manual para desmontar o mundo

Manual do Minotauro é uma leitura que demanda cuidado, tem de ir devagar. Porque este álbum de Laerte tem a maior quantidade que já li de conceitos, metáforas, nonsense, non sequitur, paradoxo, absurdo, antítese, contradição e analogia por centímetro quadrado de quadrinho. O volume de 400 páginas, lançado este ano pela Companhia das Letras, traz… Continuar lendo Laerte e o manual para desmontar o mundo

Como os anjos preenchem seus cadernos

Cena de Asas do Desejo em que Cassiel (dir.) lê suas anotações a Damiel

Dois homens de meia-idade conversam dentro de um BMW conversível em uma revenda na Berlim Ocidental pré-unificação. Vestem sobretudo preto e usam rabo de cavalo. O que está no assento do motorista lê suas anotações em um pequeno caderno de capa dura: Vinte anos atrás, no dia de hoje, um caça soviético caiu no lago… Continuar lendo Como os anjos preenchem seus cadernos

Livro traz caligrafias históricas em seu próprio habitat

Autor conta história de doze manuscritos antigos, cobrindo período de mil anos

A caprichada versão brasileira do livro Manuscritos Notáveis, do inglês Christopher de Hamel, é para ser lida em cima da mesa. Suas quase 700 páginas dão ao volume de capa dura 4,5 cm de espessura e mais de um quilo. Isso, porém, não é nada perto da presença física dos objetos dos quais o autor… Continuar lendo Livro traz caligrafias históricas em seu próprio habitat

Livro explica lettering, do lápis ao software

Título de Martina Flor é um dos mais completos sobre lettering disponíveis no Brasil

Durante cinco anos, A Arte da Caligrafia, de David Harris, reinou sozinho nas prateleiras das livrarias como única referência sobre escrever e desenhar letras. A partir de 2014, as editoras brasileiras se tocaram que caligrafia e lettering estavam em alta e lançaram outros livros. Os Segredos de Ouro do Lettering, da argentina residente em Berlim… Continuar lendo Livro explica lettering, do lápis ao software

O livro que me fez encarar a caligrafia

Neste livreto de apenas 36 páginas, autora explora uso do instrumento conhecido em português como tira-linhas. Na foto, três modelos diferentes

Eu acredito que as leituras aparecem na hora certa. O livro Viaje en Tiralíneas (Viagem em Tira-linhas), da argentina Silvia Cordero Vega, foi uma delas. Como muitos participantes das minhas oficinas de caligrafia, eu guardava vários materiais comprados em viagens, alguns ainda fechados na embalagem. A razão é que eu não sabia como começar. Achado… Continuar lendo O livro que me fez encarar a caligrafia

Safari tipográfico na cidade

Há alguns anos ganhei de presente um livro muito legal de fotografias chamado Typespotting. Warszawa. O autor, Artur Frankowski, fez uma espécie de arqueologia contemporânea dos letreiros e sinais urbanos de Varsóvia, na Polônia. Entusiasmado, resolvi fazer algo parecido aqui em Florianópolis (SC), mesmo sabendo que a cidade é de urbanização mais recente e talvez não… Continuar lendo Safari tipográfico na cidade