Sketch no bate-papo sobre arquiteto Hans Broos

Escuto a palestra, mas desenho. Conversa sobre o arquiteto Hans Broos no Porão

Pelo título do evento, Conversas de Porão: Hans Broos e o Brutalismo em Florianópolis, parece valer a pena enfrentar o trânsito do trabalho até o Centro em uma terça-feira à noite. É fevereiro de 2019. Chegamos com a casa cheia. O bar e espaço de apresentações Porão divide um casarão histórico com o Hub Casacanto,… Continuar lendo Sketch no bate-papo sobre arquiteto Hans Broos

“60 dias dentro de casa” chega à livraria Megafauna em São Paulo

Estantes voltadas para a vitrine juntam grandes editoras e autores independentes. Foto: divulgação

Andar por estantes de uma livraria é entrar em um labirinto e se perder olhando as paredes. A Megafauna é um desses lugares que convida a circular entre os livros e vasculhar as lombadas. Abriu ano passado no histórico edifício Copan, projeto de Oscar Niemeyer no centro de São Paulo. Idealizada por mulheres, a casa… Continuar lendo “60 dias dentro de casa” chega à livraria Megafauna em São Paulo

Livro “60 dias dentro de casa” chega à Humana Sebo e Livraria, em Chapecó

“Ame, lute, leia”, já diz o letreiro na parede

Espaço dedicado às letras e artes visuais, a Humana Sebo e Livraria, de Chapecó (oeste de Santa Catarina), acaba de receber exemplares do meu livro 60 dias dentro de casa – Um diário ilustrado do isolamento, com desenhos e textos que produzi ano passado, bem no início da pandemia. A livraria independente trabalha com títulos… Continuar lendo Livro “60 dias dentro de casa” chega à Humana Sebo e Livraria, em Chapecó

Quando um desenho captura o silêncio

No começo da quarentena, você sentiu um silêncio meio pesado no bairro? Uma calmaria que é quase o inverso das tardes de domingo, quando o normal é todo mundo sair de casa? No isolamento, as pessoas estavam trancadas em seus apartamentos, mas não se ouvia nada. Construções paradas e poucos carros na rua. Até os… Continuar lendo Quando um desenho captura o silêncio

Livro explica lettering, do lápis ao software

Título de Martina Flor é um dos mais completos sobre lettering disponíveis no Brasil

Durante cinco anos, A Arte da Caligrafia, de David Harris, reinou sozinho nas prateleiras das livrarias como única referência sobre escrever e desenhar letras. A partir de 2014, as editoras brasileiras se tocaram que caligrafia e lettering estavam em alta e lançaram outros livros. Os Segredos de Ouro do Lettering, da argentina residente em Berlim… Continuar lendo Livro explica lettering, do lápis ao software

Seis coisas que fizeram de 2018 um ano menos ruim

Retrospectiva é aquele tipo de exercício em que você relembra o que achou mais importantes mas quem lê, discorda. Mesmo assim, escrevo fatos interessantes que ocorreram em 2018, ao menos no campo da caligrafia e afins (já que na política e economia, convém poupar o fígado). Mais oficinas Foram duas edições da oficina Caligrafia Livre… Continuar lendo Seis coisas que fizeram de 2018 um ano menos ruim

Café com Serifa chega à terceira edição

Mary Meürer (dir.): "Floripa precisava deste momento de conversa e troca de experiências"

Interessados no desenho das letras como profissão, objeto de estudo ou expressão visual têm encontro marcado nesta quarta-feira, 7/12, a partir das 18h. É a última edição do ano do Café com Serifa – evento bimestral que reúne type designers, calígrafos, letristas e interessados. O lançamento do livro de poesias Roubadas de um Jardim, de… Continuar lendo Café com Serifa chega à terceira edição

O livro que me fez encarar a caligrafia

Neste livreto de apenas 36 páginas, autora explora uso do instrumento conhecido em português como tira-linhas. Na foto, três modelos diferentes

Eu acredito que as leituras aparecem na hora certa. O livro Viaje en Tiralíneas (Viagem em Tira-linhas), da argentina Silvia Cordero Vega, foi uma delas. Como muitos participantes das minhas oficinas de caligrafia, eu guardava vários materiais comprados em viagens, alguns ainda fechados na embalagem. A razão é que eu não sabia como começar. Achado… Continuar lendo O livro que me fez encarar a caligrafia

Safari tipográfico na cidade

Há alguns anos ganhei de presente um livro muito legal de fotografias chamado Typespotting. Warszawa. O autor, Artur Frankowski, fez uma espécie de arqueologia contemporânea dos letreiros e sinais urbanos de Varsóvia, na Polônia. Entusiasmado, resolvi fazer algo parecido aqui em Florianópolis (SC), mesmo sabendo que a cidade é de urbanização mais recente e talvez não… Continuar lendo Safari tipográfico na cidade