“60 dias dentro de casa” chega à livraria Megafauna em São Paulo

Estantes voltadas para a vitrine juntam grandes editoras e autores independentes. Foto: divulgação

Andar por estantes de uma livraria é entrar em um labirinto e se perder olhando as paredes. A Megafauna é um desses lugares que convida a circular entre os livros e vasculhar as lombadas. Abriu ano passado no histórico edifício Copan, projeto de Oscar Niemeyer no centro de São Paulo. Idealizada por mulheres, a casa… Continuar lendo “60 dias dentro de casa” chega à livraria Megafauna em São Paulo

Desenhado mais um casarão à espera de ser demolido

Casarão onde funcionava a escola Arte.Dança, no centro de Florianópolis, foi vendido a uma construtora, que também comprou a casa ao lado

Desenhar imóveis ameaçados de demolição está virando tema recorrente do Urban Sketchers Florianópolis. Quando ficamos sabendo que uma edificação de valor arquitetônico está abandonada ou foi arrematada por uma construtora, tratamos de registrá-la antes que vire poeira. É o caso deste casarão ao lado do Hemosc, no número 140 da rua Coronel Lopes Viêira, no… Continuar lendo Desenhado mais um casarão à espera de ser demolido

Memórias sobre um cineclubista

No meio de reuniões e tarefas do trabalho, minha mulher me avisa sobre a morte de Gilberto Gerlach, escritor, pesquisador e fundador do Cineclube Nossa Senhora do Desterro, que funcionou por 25 anos no Centro Integrado de Cultura – CIC, em Florianópolis. Paro e começo a lembrar de muita coisa. Costumava encontrá-lo nas sessões de… Continuar lendo Memórias sobre um cineclubista

Casario, na coluna de Fabio Gadotti

A coluna Bom dia, do jornalista Fabio Gadotti, destacou ontem o encontro virtual do Urban Sketchers Florianópolis em abril. O tema foi a única casa que ainda resta na região, na esquina da avenida Professor Othon Gama D’Eça com a rua Bocaiúva, no Centro. Dentre as dezenas de desenhos dos participantes, a coluna reproduziu o… Continuar lendo Casario, na coluna de Fabio Gadotti

Eu desenho, eles derrubam

Os dois prédios com suas escadas circulares na entrada deram lugar a um estacionamento. Nanquim e aquarela em papel A4

Véspera das eleições de outubro de 2018. Eu estou sentado em frente de dois pequenos prédios residenciais na rua Martinho Calado, no centro de Florianópolis, na altura do número 100. Apoio um caderno no colo e seguro o pote de nanquim com a mão esquerda enquanto desenho as construções usando uma pena de bambu. Além… Continuar lendo Eu desenho, eles derrubam

Primeira praia do ano e adivinhe? Nublado

Barco na praia da Armação, em Florianópolis. Lápis e lápis aquarelável

Primeiro de janeiro antes das oito da manhã na Armação, localidade afastada no sul da ilha de Florianópolis. Céu cinza escuro, água gelada e vento meio frio pra época. É de se pensar que fosse estar vazio. Que nada. Perto do pedaço da praia onde costumamos abrir as cadeiras, mais de cinquenta pessoas na faixa… Continuar lendo Primeira praia do ano e adivinhe? Nublado

Desenhar no verão só precisa de papel, caneta e ar condicionado

Em lugares fechados, se você não para, acaba desenhando os próprios pés. Caneta tinteiro sobre papel A4

Por causa do calor que ultrapassa os 30º C, o movimento de desenho de rua Urban Sketchers Florianópolis costuma dar uma pausa em janeiro e fevereiro. Duas horas de sol na cabeça pode dar insolação e queimaduras, e o suor ainda é capaz de manchar o papel 100% algodão dos aquarelistas mais refinados. Assim, nos… Continuar lendo Desenhar no verão só precisa de papel, caneta e ar condicionado

Aeroporto: aqui o tempo não voa

Sentar na poltrona não faz o avião decolar mais rápido. Desenho com caneta tinteiro

Aviões deveriam encurtar viagens. Não dependem de estradas tortuosas, não param para os passageiros comerem misto quente, não enfrentam pedágios nem fazem pinga-pinga nas rodoviárias. Mas não há eficiência que resista a normas, procedimentos e um feriado. No dia depois do réveillon de 2020, lá estou no aeroporto de Guarulhos para embarcar em uma rota… Continuar lendo Aeroporto: aqui o tempo não voa

Ganhei uma nova leitora: a personagem do filme “Até onde a vista alcança”

Isolada em casa, a personagem Sandra folheia livro “60 dias dentro de casa”

Há alguns meses, o diretor Ricardo Weschenfelder me perguntou se poderia usar meu livro 60 dias dentro de casa – Um diário ilustrado do isolamento como objeto de cena em sua nova produção. Muito feliz, aceitei. Este mês, o curta-metragem acaba de estrear no YouTube da produtora Café Preto Filmes. A obra parte do particular… Continuar lendo Ganhei uma nova leitora: a personagem do filme “Até onde a vista alcança”