Digitalize originais grandes com o scanner que você tem em casa

Scanner com uma folha maior que a bandeja

As câmeras dos celulares atuais têm qualidade de sobra para postar desenhos nas redes sociais (desde que você tome alguns cuidados com a luz). Mas quando você precisa de qualidade para imprimir sua arte ou mandá-la a um cliente, o scanner é imbatível.

Esse equipamento mantém a mesma qualidade do centro até a borda e preserva melhor as cores, duas vantagens sobre as câmeras de smartphones.

Só tem uma limitação: a bandeja de quase todos os modelos é do tamanho de uma folha A4 (21 x 29,7 cm). E se sua obra for maior que isso? Existem scanners de grande formato (A3), mas são caros e difíceis de encontrar.

Daí, descobri a técnica de usar o modo de panorama dos softwares. Essa funcionalidade foi feita para emendar fotos, geralmente de paisagens, mas servem também para desenhos e pinturas.

Fica perfeito e é bem mas rápido que emendar manualmente. Deixe o trabalho duro para as máquinas!

Inclua áreas de intersecção

Primeiramente, você deve escanear o original em partes e salvar cada uma como um arquivo separado. Lembre de deixar uma área em comum (intersecção ou sobreposição) de mais ou menos um quinto da imagem ao escanear cada parte. O software precisa disso para calcular as emendas.

Se o original for muito grande, alguns modelos de scanners permitem retirar a tampa da bandeja. E não tem problema se algumas fatias ficarem de ponta-cabeça. O software arruma sozinho.

Aconselho a usar seu scanner no modo de fotografia (e não no de documento) para manter os detalhes. Outra recomendação: escaneie todas as partes com a mesma configuração. Ou seja, da segunda imagem em diante, vá escaneando direto com o botão de escanear (ou de digitalizar, dependendo do modelo), sem dar o preview. Isso fará com que todos os arquivos saiam com os mesmos ajustes de cor e luminosidade.

Diagrama mostrando a intersecção das fatias para um original em A3
Intersecção das partes para um original em A3. Aqui, a arte foi escaneada em três arquivos

Depois, use a função de panorama dos softwares de edição de foto para emendar todas as imagens em uma só. Eu utilizo o Affinity Photo, mas o Photoshop também tem esse recurso. Existem ainda programas mais simples listados neste site.

No Affinity Photo

Vou usar de exemplo um desenho recente que fiz em papel kraft no tamanho A3 (29,7 x 42 cm).

Menu do software Affinity Photo
Opção de criar panorama no Affinity Photo
Caixa de diálogo para criar panorâmica do Affinity Photo
Clique em “Adicionar” para selecionar os arquivos
Janela de seleção de arquivos
Selecione as imagens que você escaneou no computador
Caixa de diálogo do Affinity com os arquivos carregados
Depois de selecionar os arquivos, clique em “Compor panorâmica”
Prévia do panorama no Affinity Photo
O programa vai apresentar uma prévia no painel direito. Se estiver tudo certo, clique em OK. Não tem problema se estiver de ponta-cabeça
Aguarde o Affinity combinar as partes
O programa vai entrar no modo de edição do panorama. Aqui você ainda pode girar, cortar e até fazer ajustes nas emendas (na caixa de ferramentas à esquerda)
Se aparecer alguma área escura que não está no original…
…use o pincel para corrigir
Se estiver tudo certo, clique em “Aplicar” para finalizar o panorama e avançar ao modo normal de edição

No Photoshop

A opção está no menu:

Arquivo > Automatizar > Photomerge

A partir daí, é só carregar os arquivos e mandar emendar. O site da Adobe tem o tutorial completo.

O que eu desaconselho

Emendar as partes manualmente

É trabalhoso e demorado. Você tem de mover e girar as camadas em incrementos minúsculos ao unir as fatias e, mesmo assim, nem sempre a emenda fica boa. Ainda por cima, é preciso corrigir as pequenas diferenças de iluminação que ocorrem nas bordas do scanner.

Fotografar com equipamento profissional

Tirando o preço e o trabalho de montar a parafernália de flash, tripé, sombrinha, etc, o desafio é conseguir que a iluminação seja uniforme e a temperatura de cor fique neutra.

E tem mais: o tempo que você economizaria fotografando vários trabalhos em sequência vai gastar tratando as imagens. Os tons mais claros, por exemplo, tendem a sumir quando você edita a imagem para o papel ficar branco.