Caligrafia é arte para ser pendurada

Obra de caligrafia na parede ao lado de desenhos de criança
Exposição ao lado de obras-primas valoriza qualquer arte. Foto: Marcelo Letti

O destino de uma boa parte das minhas obras é a parede de uma casa. Para o colecionador, uma parcela do valor está na frase ou palavra que ele escolheu. Mas a caligrafia tem ainda outras características – o contraste entre texto e fundo, a composição no papel e a textura criada pelo bloco de texto. Por isso, projetos de design de interiores com uma abordagem contemporânea, onde haja espaço para a arte não figurativa, são um bom lar para estilos mais expressivos de caligrafia.

Percebi isso ao olhar uma obra minha na sala de um casal de amigos de Tijucas (SC), cidade a 45 min de Florianópolis. Dei o quadro de presente a eles no aniversário do ano passado (as datas são próximas o suficiente para eles fazerem uma festa só), mas só fui vê-lo pendurado agora, no aniversário deste ano.

Pós-punk inglês

A frase é a abertura da música Bizarre Love Triangle, da banda New Order. A escolha foi fácil: eles gostam de rock inglês da década de 1980: Smiths, Cure, coisas assim. Senti que poderia fazer algo nessa linha. A faixa está no disco Brotherhood, de 1986, que eu tinha em vinil. Na época, achava o encarte meio misterioso. Não trazia as letras, nem fotos do grupo. Depois, descobri que o designer gráfico de todos os discos da banda, Peter Saville, é famoso pelo trabalho mais conceitual.

Processo em duas etapas

Escrevi primeiramente as duas últimas palavras de cada frase com pincel japonês: “you” em aguada e “blue” em aquarela. Depois de secarem, escrevi o trecho completo com um tira-linhas e nanquim puro. Usei um estilo livre para combinar com o som da banda e com a proposta da decoração. O papel rugoso fez com que os traços com tira-linhas ficassem irregulares, efeito que se consegue inclinando o instrumento e escrevendo mais rápido.

“Everytime I think of you I feel shot right through with a bolt of blue.” Refrão da música Bizarre Love Triangle, da banda inglesa New Order. Nanquim e aquarela sobre papel. 29,7 x 42 cm. Julho de 2015

Após alguns ensaios e tentativas, cheguei a três versões satisfatórias. Aí, foi só escolher uma. A obra mede 29,7 x 42 cm (tamanho A3) e hoje está bem acompanhada dos desenhos de duas pequenas artistas.